terça-feira, 6 de novembro de 2012

Rendida ao Amor, à Luz, à Vida e ao meu Propósito. Que assim seja, e que assim se faça.

domingo, 4 de novembro de 2012


"A partir do primeiro empurrão agressivo associado ao teu nascimento no mundo do plano físico, estás aqui para servir o planeta e a sua população autóctone. Não podes cumprir isso choramingando, escondido no quarto. Tu és o ESPÍRITO encarnado e chegaste aqui com uma missão. Por conseguinte permite-te assumir o teu verdadeiro poder e trata de ser quem, de facto, és."

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Desiderata


"Ouça, enfim, a sabedoria do sábio: “Siga placidamente no meio do barulho e da pressa e lembre-se da paz que se encontra no silêncio. Tanto quanto possível, sem se humilhar, viva bem com todas as pessoas. Fale a sua verdade, clara e mansamente. E escute os outros, mesmo os estúpidos e ignorantes; eles também têm uma história para contar.

Evite as pessoas escandalosas e agressivas; elas afligem o espírito. Se você se comparar com outros, pode se tornar vaidoso ou amargo, pois sempre haverá pessoas superiores e inferiores a você. Viva intensamente seus ideais e o que você já conseguiu realizar. Mantenha-se interessado em sua carreira, por mais humilde que seja; ela é um verdadeiro tesouro na contínua mudança dos tempos. Tenha cautela em seus negócios, pois o mundo é cheio de armadilhas. Mas não deixe que isso venha a cegá-lo para a presença da virtude; muitas pessoas lutam por grandes ideais, e em todos os lugares a vida é cheia de heroísmo.

Seja você mesmo. Sobretudo não finja afeição. Nem seja cínico quanto ao amor; pois, diante de toda aridez e de todo o desencanto, ele é tão perene quanto a relva. Aceite delicadamente o conselho dos anos, renunciando graciosamente às coisas da juventude. Cultive a força do espírito para proteger-se em caso de inesperado infortúnio. Mas não se desgaste com temores imaginários. Muitos medos nascem da fadiga e da solidão.

Ao lado de uma disciplina saudável, seja gentil consigo mesmo. Você é filho do universo, assim como as árvores e as estrelas; você tem direito a estar aqui. E, quer você entenda, quer não, o universo está se desenrolando como deveria. Portanto, fique em paz com Deus, seja qual for a forma como você o concebe. E, quaisquer que sejam seus trabalhos e aspirações, na confusão ruidosa da vida, mantenha a paz em sua alma. A despeito de todas as fraudes, enganações e sonhos perdidos, este ainda é um mundo belo. Seja alegre. Esforce-se para ser feliz."

Max Ehrmann


"E manipular um ser humano é o maior crime que alguém pode cometer."

Osho, em "Osho Todos os dias"


Autenticidade



E quando no meu peito nasce um impulso vital, de ser completamente autêntica e verdadeira com o que sinto, nada me pode conter ou parar. E rompo barreiras, indiferente ao que me rodeia, torno-me Eu, sem medo nem reservas, sentindo unicamente o Amor que vibra em mim, e o meu coração a crescer a cada vez que me permito agir pela sua lei. A lei do Amor Puro.

domingo, 21 de outubro de 2012

Novas rotinas

Acordar, tomar banho, meditar, tomar o pequeno almoço… Em pouco tempo, meditar, tornou-se parte da minha rotina matinal, e é já algo fundamental no meu dia. Um escorregar para dentro de mim mesma, um encontro com o meu Puro Eu, um Despertar que me liga a todo o Cosmos, à Energia do Amor. E assim, o dia é mais autêntico, mais desperto, mais consciente e eu, mais serena, mais profundamente ligada a mim e ao Todo.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Saudades? Não...



Há pouco uma colega veio ter comigo, e disse-me que tinha encontrado umas fotos minhas de há 7 anos atrás. E de repente sai-se com aquela expressão de quem já não tem 20 anos, e que sente que a vida lhe foge “ai que saudades!“
E eu, só penso que aquele tempo está tão distante de mim, que me parece uma outra vida, da qual apenas me lembro de pequenos retalhos, imagens de uma outra Ana, memórias dispersas de uma pessoa que não existe mais em mim. E digo “saudades??? Não, não tenho” E apercebo-me uma vez mais, da mudança do meu discurso, e da mudança em mim.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Meditação é renúncia

"A meditação é um modo de renunciar ao ego. Meditação é renúncia, a própria essência da renúncia.
Normalmente nos apegamos ao ego: de todas as maneiras possíveis tentamos comprová-lo. Meditar significa desistir de satisfazer o ego, abandoná-lo. Não estamos mais interessados em comprovar o ego, porque vemos a falsidade dele e todo o absurdo da coisa.

Ver o ego nos permite abandoná-lo; ver a futilidade e a amargura que ele nos traz faz abandoná-lo – e imediatamente ocorre uma transformação.
Sempre que você se esvazia do ego, algo provindo do além entra, preenche imediatamente seu vácuo interior. Essa entrada súbita de energia vinda do além é Deus. A meditação abre o caminho para a entrada do que vem do além.

Mas somos tão cheios de nós mesmos que continuamos perdidos. Temos de nos esvaziar totalmente, é necessário um esforço completo, que não seja frio ou desinteressado, porque, se restar uma parte ínfima do ego, ela já será suficiente para nos manter afastados do além.

O ego tem de ser abandonado totalmente, o vazio tem de ser total, para que não haja mais barreiras e o convidado possa entrar. O vazio se torna o anfitrião de Deus – não há outro modo de conhecer Deus."
Osho, em "Meditações Para o Dia"


domingo, 14 de outubro de 2012

"Éramos dois cubos de gelo que a luz do sol derreteu; agora somos a mesma água viva."

Paulo Coelho - O Aleph

Já não volto...



Mar revolto


Mar selvagem, revolto, contudo indiferente. Indiferente a quem entra e quem sai, a quem lá fica, morre, se esconde, chora, sorri, ama ou se purifica nas suas águas. Segue o seu ritmo impassível e imperturbável.
Assim tento que seja o meu interior, indiferente ao vai e vem, às perturbações externas, mantendo-o estável e em paz. Mesmo quando parece que cá dentro se ouve o rugido das ondas, com força para quebrar todas as barreiras,respiro fundo e sigo, confiante e serena, sabendo que toda essa força está dentro de mim para ser usada, em Amor.

Nem sempre sei para onde vou, nem  qual será o meu abrigo, ou se vou sequer conseguir manter-me em segurança. Mas sei sempre porque viro costas e vou embora.


Sentada na areia, sinto a vibração da Mãe Terra dentro de mim. E fico em mim, não me detenho em nada fora de mim. Sou infinita!

domingo, 30 de setembro de 2012

E dentro de mim nasce um silêncio desconhecido... Um silêncio feito de quietude, de paz e de consciência.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

É só isto que eu quero


Hoje sinto-me tão cansada.... De gente mesquinha, de hipocrisia, de desconfiança, de futilidades, de falta de amor e compaixão.
Não consigo entender o meu papel neste meio, e canso-me de sentir que não pertenço.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Incontáveis momentos preciosos


Há pessoas especiais... que tocam a nossa essência e o nosso coração com uma delicadeza e com uma profundidade, que sabemos que nunca mais as esqueceremos.
E às vezes a vida flui noutra direção, e há que deixar ir, aceitar o que foi e o que é, e soltar. Nunca sem saudade, nunca sem lágrimas, mas com o coração cheio de amor e gratidão, porque o vivido e aprendido ficará para sempre guardado. Incontáveis instantes preciosos, que fizeram com que sempre valesse a pena.

Aprendi tanto e tanto e tanto, que não saberia explicar ainda que o quisesse. E tudo o que aprendi, tornou-me mais rica, mais autêntica, mais consciente de mim mesma, com mais força para ser cada vez melhor, sem medo.
E porque pessoas assim especiais entram na minha vida, eu sinto-me abençoada.
Obrigada
Sei que continuaremos sempre, a zelar um pelo outro, seja de que forma for.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Pôr do sol mágico no Alqueva


Momentos guardados para sempre no meu coração. A máquina só capta uma milésima parte...

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Para a luz...




Infinitude...

A praia está quase deserta, e sol esconde-se por entre as nuvens, e meu corpo mergulha num mar sem fim. E funde-se... e deixa que tudo o que não interessa, seja levado pelas ondas que lhe tocam. E sente...
E por um momento, tenho o infinito dentro de mim.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Sincronicidades...

Entrei no blog http://www.palavrasdeosho.com/, e hoje, este texto assenta em mim como uma luva.
Entendo e sinto...

"O crescimento é doloroso porque você tem evitado muitas dores na sua vida. Evitando-as você não as destrói; elas vão se acumulando. Você continua engolindo as suas dores e elas permanecem no seu organismo.

É por isso que o crescimento é doloroso; quando começa a crescer, quando decide crescer, você tem que encarar todas as dores que reprimiu. Não pode simplesmente contorná-las.

Você foi criado da maneira errada. Infelizmente, até hoje, nunca existiu uma sociedade neste planeta que não tenha reprimido a dor. Todas as sociedades dependem da repressão. Elas reprimem duas coisas: uma é a dor, a outra é o prazer.

E reprimem o prazer também por causa da dor. O raciocínio delas é que, se você não for muito feliz, nunca se sentirá muito infeliz; se uma grande alegria for destruída você nunca viverá numa dor profunda. Para evitar a dor, elas evitam o prazer. Para evitar a morte, elas evitam a vida.

E essa lógica tem uma razão de ser. As duas coisas crescem juntas; se quer ter uma vida de êxtase, você tem que aceitar muitas agonias. Se quer os picos do Himalaia, você tem que ter também os vales.

Mas não há nada de errado com os vales; o modo de você encará-los é que precisa mudar. Você pode gostar de ambos — os picos são maravilhosos, mas os vales também. E existem momentos em que a pessoa precisa apreciar os picos e há outros em que ela precisa relaxar nos vales.

Os picos são banhados de sol, há um diálogo com o céu. Os vales são sombrios, mas sempre que quer relaxar você precisa ir para a escuridão dos vales. Se quer chegar aos picos, você precisa lançar raízes no vale; quanto mais profundas elas forem, mais altas serão as árvores. A árvore não pode crescer sem raízes e estas precisam se infiltrar profundamente no solo.

A dor e o prazer são partes intrínsecas da vida. As pessoas têm tanto medo da dor que elas a reprimem, evitam qualquer situação que lhes traga dor; vivem esquivando-se dela. E acabam chegando à conclusão de que, se querem evitar a dor elas têm de evitar o prazer também.
É por isso que os seus monges evitam o prazer — eles têm medo dele. Na verdade, estão simplesmente evitando todas as possibilidades de dor. Eles sabem que, se evitarem o prazer, farão que seja naturalmente impossível ter uma grande dor; a dor é só uma sombra do prazer.

Então você caminha pelas planícies; nunca escala os picos e nunca mergulha nos vales. Mas a partir daí você passa a fazer parte dos mortos-vivos, você não está mais vivo. A vida existe entre essa polaridade. Essa tensão entre dor e prazer o torna capaz de compor uma grande música; a música só existe nessa tensão.

Destrua a polaridade e você ficará embotado, envelhecido, desinteressante. Você não verá nenhum significado na vida nem conhecerá o seu esplendor. Deixará que ela passe em branco. A pessoa que quer conhecer a vida e vivê-la precisa aceitar e abraçar a morte. Elas vêm juntas, são os dois aspectos de um único fenômeno.

É por isso que o crescimento é doloroso. Você precisa olhar de frente todas essas dores que sempre evitou. Isso dói. Você precisa enfrentar todas essas feridas que, de algum modo, conseguiu ignorar.

Mas quanto mais fundo mergulhar nas suas dores, maior será a sua capacidade de mergulhar no prazer. Se você conseguir chegar ao limite da dor, será capaz de tocar o céu.

Para se livrar da dor, é preciso aceitá-la, inevitável e naturalmente. Dor é dor — um fato simples e doloroso. O sofrimento, porém, é apenas e sempre a recusa da dor, a reclamação de que a vida não deveria ser dolorosa. Trata-se de uma rejeição de um fato, a negação da vida e da natureza das coisas.

A morte é a mente que se preocupa com o morrer. Se não há medo da morte quem está ali para morrer?

O homem é a única criatura com conhecimento da morte e da sua risada. O milagre é que por isso ele pode até fazer da morte algo novo: pode morrer dando risada! E, se você pode morrer dando risada, só assim dará uma prova de que deve viver dando risada.

A morte é a afirmação final de toda a sua vida — a conclusão, o comentário final. O modo como viveu se revelará por meio da sua morte, pelo modo como você morrer.

Você consegue morrer dando risada? Então é porque é uma pessoa adulta. Se morrer chorando, soluçando, se agarrando à vida, então você é ma criança. Você não cresceu, é imaturo. Se morrer chorando, soluçando, se apegando à vida, isso simplesmente mostra que você está evitando a morte e evitou a vida também, com todas as suas dores."


sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Ao encontro da minha luz interior…


Sei que ela brilha, e sei que é o melhor que eu tenho para oferecer a mim própria, e aos outros.
E calo tudo à minha volta, e oiço apenas o meu interior, e comovo-me, porque está em harmonia com o universo, com o infinito, com a energia primordial.
Pacifico as emoções, e sorrio de felicidade, e de plena tranquilidade e aceitação.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Buda gordo



Não, o Buda não era gordo. E não, esfregar a barriga de um Buda gordo não traz felicidade.
Imensas pessoas me perguntam "mas o Buda não era gordo?" Aqui fica uma possivel explicação para essas imagens que todos já vimos.

Sidharta Gautama era um andarilho. Quando ainda jovem, membro da casta guerreira, praticava artes marciais e desportos. Mais tarde, quando abandonou o palácio, dedicou-se durante anos a fio a práticas ascéticas, as quais, certamente, não incluiam fartas refeições. Após a iluminação e até morrer, o Buda andou incessantemente de vila em vila, cidade em cidade, montanha em montanha e todos os dias, ele e os seus discipulos tinham que procurar o que comer.
Então por que é que alguém teria a idéia de representá-lo gordo? O que acontece na realidade é que o famoso Buda gordo não é uma representação do Buda. A origem dos "Budas Gordos" é obscura e há várias explicações. Na verdade, parece ter havido vários personagens gordos.

As primeiras representações chinesas de tal personagem apareceram provavelmente na dinastia Sung (960-1275). Um primeiro Buda é aquele representado sentado sobre um saco (contendo tesouros). Em sua mão esquerda ele segura uma peça de ouro na forma de um barco ou, por vezes, um mala. Na mão direita por vezes segura um leque. Nesse caso, ele representa
Mi Fo, talvez associado ao rei-guardião da prosperidade, Jambhuvala, o qual preside o setor norte do universo.

Uma outra figura parece ter tido como inspiração Chang Dingzi, um monge budista que viveu na China do décimo século. Ele carregava um saco às costas e por causa da sua sabedoria e fama de feitos miraculosos passou a ser considerado uma manifestação de Maitreya, o Buda do futuro. Maitreya é tido como o bodhisattva da compaixão ilimitada. Na China havia uma expressão idiomática para alguém muito paciente e tolerante, "aquele de estômago grande". Talvez essa expressão tenha sido tomada à letra, surgindo o sujeito gordo carregando um saco nas costas. Enquanto tal, ele é assim uma representação de Maitreya (Mileh Fo em chinês ou Miroku Bosatsu em japonês).

Noutra representação encontramos o obeso personagem com as mãos para o alto, como que a segurar os céus para não cair. Este é Hotei, o deus chinês da prosperidade e da riqueza. Uma grande barriga sempre foi associada na Ásia à prosperidade. Alguns associam-no à divindade indiana Indra, senhor dos céus. Hotei aparece sempre a rir, daí muitos o chamarem de "Buda Sorridente". Hotei é uma das sete divindades japonesas da sorte.

Há ainda uma outra representação, quando ele aparece a rir e cercado de criaças
ou animais. Esse é o bodhisattva Kshitagarbha (Di Zang Wang Pu Sa em chinês e Jizo Bosatsu em japonês), protector das crianças e para o qual muitos rezam quando perdem os seus filhos.
Oriundo da tradição tailandesa, temos ainda uma outra história. O nosso personagem era um discípulo do Buda, jovem e atraente. As mulheres não o deixavam em paz, então ele desejou tornar-se muito gordo para que elas o deixassem em paz e ele pudesse meditar tranquilo. Uma outra versão o associa a Anathapindika, o rico comerciante que tanto apoiou o Buddha e a Sangha de monges. Como prosperidade e uma grande barriga também estão associadas na cultura indiana, o "Buddha Gordo" apareceu.

 

Saber sentir...


E nunca o tempo será igual, nenhum gesto se repetirá, e cada instante será o único, o perfeito, aquele que É.

Não vale a pena corrermos atrás de ilusões, do que já foi, porque tudo isso é vão! O que conta é o que fica cá dentro, o que acrescentámos ao nosso coração, são as emoções que sentimos, as histórias que partilhámos e tudo o que aprendemos. Depois há que dar espaço ao novo, ao desconhecido, e novamente entrar na espiral, que nos leva sempre mais e mais rumo à nossa verdadeira essência, rumo ao absoluto, ao infinito, à felicidade.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

domingo, 2 de setembro de 2012

É isto que eu quero


Ir além...

Deixar ir...


Tenho saudades! Saudades de coisas, de cheiros, de lugares, de pessoas, do que fui, do que fiz, saudades nem sei do quê. Saudades infinitas deste mundo, e de outros, porque não sei ao certo onde começam e onde acabam.

sábado, 1 de setembro de 2012

União

 
E é tal o sonho e a loucura, que caio em vertigem e rio de mim. E embarco em imagens irreais sem me prender à terra, ao que fui e ao que sou. Sigo sempre, apenas fiel ao que sinto, intensa e profundamente. Sem querer explicações ou rótulos, sem querer nada mais do que aquele instante sublime, puro e pleno, em que me reconheço outra, e em que sem medo, ME ENTREGO. 

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Vou mergulhar...


... no mar da minha essência, no desconhecido de mim, na imensidade do todo contido no meu coração. Vou mergulhar e procurar tesouros.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

A escolher caminhos...

DOIS CAMINHOS

"Assumir o comando da vida. Sentir o que há para fazer. Fazer o que
se tem de fazer. Há alturas em que a vida vai mostrar-te uma
bifurcação tão clara, tão nítida, que vais ter mesmo de escolher. Podes
não querer escolher. Podes não querer ter de tomar qualquer decisão.
Mas vai haver um dia em que a própria vida se vai encarregar de te
levar a uma bifurcação perfeita, mais do que uma bifurcação, uma
linha recta.

Ou vais para um lado, ou vais para o outro. Contrários. Opostos. E
tens mesmo de ir. Não podes ficar parado. Não podes ir em frente.
Não há caminho em frente. Ou vais para a tua direita ou vais para
a tua esquerda. É nessa altura que tens de assumir o comando.
Tens de te concentrar. Tens de interiorizar. Pensar, nunca. É o que
as pessoas mais fazem na hora de escolher, elas pensam. Não.

Esse é o momento de vir cá acima. Vir cá acima escolher a luz.
Sempre que a vida te apresenta uma bifurcação, ou uma linha de
opostos em que tens de escolher, normalmente há duas opções.
Um dos caminhos é de luz. O outro é quase sempre de densidade.

Não estou a dizer que um está certo e que o outro está errado. Não
estou a dizer que tens de escolher o certo. Até podes escolher o
errado. O que interessa é a luta entre a luz e a densidade que se
apresenta para que faças a tua escolha.

Como vês, não é hora de pensar. Não é hora de ponderar. É hora
de subir cá acima, tentar sentir onde está a luz, e segui-la. Esse é o
comando. Isso é que é assumir o comando da vida. Dois caminhos.
Ter de escolher. Aceitar escolher a luz. Assumir o comando. Vir cá
acima sentir qual dos caminhos é de luz. Escolher. Seguir o seu
caminho. Esta é a mecânica. Boa sorte."

Mensagem de luz de Alexandra Solnado

sábado, 25 de agosto de 2012

Presente

Não quero parar de sentir isto. Não quero sair de mim, quero permanecer neste momento, neste presente. Em unidade com o universo.
Quero permanecer. Por agora sinto. Agora. Nada mais há, além do agora.

Ruínas


E assim serei eu, um monte de ruinas, cinzentas, e quando menos esperar, renascerei, mais pura e bela que nunca.
Irei ao fundo de mim mesma, cada vez mais, e um dia brilharei com todo o esplendor, sem barreiras, nem medos.
Obrigada, pelas maravilhosas oportundades que tenho tido, pelas maravilhosas pessoas que tenho conhecido, e que me têm ensinado tanto, sobre mim, sobre o mundo, e sobre o meu papel nesta vida.
Estou profundamente grata, e o meu coração cheio de amor.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Será que um dia, tudo vai fazer sentido?

Um grande brinde...


às pessoas que lutam pela vida, e pela felicidade.


Fantasmas



Todos nós temos os nossos fantasmas. Todos sem excepção, temos lugares dentro de nós onde não gostamos de ir. Lugares esquecidos, ou que tentamos à força esquecer. Lugares mais sombrios, que não deixamos vir à tona assim, com duas cantigas. Lugares secretos às vezes, onde nunca deixámos ninguém entrar, lugares bafientos e empoeirados, que nos fazem falta de ar, quando lá vamos espreitar. Lugares cheios de velharias e coisas sem utilidade, lugares de esquecimento e de lembranças, que nos fazem chorar, enraivecer, ter medo, fugir. E fugimos, sem percebermos que fugimos de nós mesmos, sempre.
Todos esses lugares estão dentro de nós, e tal como um sótão escuro e velho, precisa de luz e limpeza para ficar mais aprazível, assim esses nossos lugares nublosos, precisam de ser iluminados. Precisam de ser vasculhados canto a canto, as lembranças choradas, os traumas enfrentados, as dores sentidas, as raivas explodidas. E depois de tudo sair cá para fora dolorosamente, podemos aos poucos ir aquietando o nosso coração e alma, e ir limpando cada espaço deixado vazio, e por fim, preenchê-lo de flores perfumadas, e essências de amor, inspiradoras e divinas, que nos tornarão certamente, pessoas muito mais felizes.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012


Mostra-me que há mais, mostra-me o que já não consigo ver, mostra-me que há amanhã. Já posso?
Como fugir, quando aquilo de que fugimos está cá dentro?

Quando temos dúvidas sobre se devemos continuar, quer dizer que já desistimos?

sexta-feira, 10 de agosto de 2012



Eu sinto, tu sentes, nós somos imensos.

Chama sempre acesa


No peito, na alma, no corpo...
Chama de vida.

"Já te puseste no lugar dela?"

Fazendo uma análise da minha vida percebo que durante imenso tempo, sofri com a tristeza que poderia estar a causar alguém. Sofri quando era criança e os meus pais ficavam tristes comigo, sofri quando deixei de amar e fiz sofrer quem ainda me amava, sofri quando vi lágrimas a correr na cara das pessoas de quem gostava.
Foram anos e anos em que sempre me coloquei no lugar dos outros, e que por isso deixei de fazer imensas coisas que queria. Unicamente, para não fazer sofrer ninguém.

Hoje em dia já consigo perceber que muitas vezes, há decisões que temos que tomar, que não podem ser adiadas ou alteradas porque nos colocamos no lugar dos outros e tomamos as suas dores. Há decisões que fazem sofrer os outros sim, mas que fazem parte do nosso caminho, fazem parte da luta pela nossa própria felicidade.
Colocar-me no lugar dos outros… Sim continuo a fazê-lo, mas confesso que se o fizesse sempre, como o fiz durante tantos anos, desistiria de fazer coisas que faço, desistiria de pessoas que quero na minha vida, desistiria por vezes de tentar ser feliz. 

Temos que respeitar os outros, não magoar ninguém gratuitamente, temos que ser íntegros e bondosos, mas não podemos entender tanto os outros, ao ponto de boicotarmos a nossa vida e a nossa natureza, para que não sofram.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Estou cansada de pessoas. Apetece-me silêncio, calma, vozes caladas, o zumbido do vento, o nada…

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

"Hoje não é dia para fazeres nada do que estás habituado. Não é dia
de perdurar, nem de acalmar as hostes. Nem de orar. Nem de sair.
Nem de desabafar. Hoje, não é para te recostares ao sol, nem para
apreciares a lei. Não é dia para rasgares a voz, nem para bradares
aos céus. Hoje não é para correr, hoje é para parar.

Quieto. Assim. Triste. Pois é. É dia de ficar, ficar simplesmente na
imensidão do mundo e pairar, na ponta da minha mão. Hoje é dia de
venerar o mestre, de adorar a energia. É dia de ofertares favores em
forma de gratidão. É dia de olhares o tempo, adorando o infinito. E de
deixares o coração bater, somente.

Hoje é dia de tudo o que haja de subjectivo na terra. O que não tem
nome. O que não tem idade. O que não tem forma. Hoje é dia de algo
que só quem já foi, só quem já sentiu, só quem acede pode saber o
que é. "



Mensagem de luz de Alexandra Solnado


PS - Um dia para recordar que sou uma centelha de luz divina, para sentir a unidade com todos os que foram, são e serão. Domingo, um dia inteiro só para isso! E sei que depois, fico renovada, inundada daquela paz, daquele amor...

terça-feira, 31 de julho de 2012

"Aquele que aprecia aquilo que tem no presente, tornar-se-á capaz de valorizar o que o futuro lhe reserva."

Retirado do site da Brahma Kumaris - http://www.bkwsu.org/portugal/

Cores da India





Já lá vivi em muitas outras vidas, tenho a certeza.
No dia em que lá voltar, só tenho medo de não querer regressar! :-)

segunda-feira, 30 de julho de 2012

A tentar viver as perguntas...



"Não investigue agora as respostas que não lhe podem ser dadas,
porque não poderia vivê-las. E é disto que se trata, de viver tudo.
Viva agora as perguntas. Talvez passe, gradativamente em
um belo dia, a viver as respostas."

[Rilke - cartas a um jovem poeta]

"(...) imaginado, encantado, perdido.
Vem então e me leva de volta para o lado de lá
do oceano de onde viemos"

Caio Fernando Abreu

Obrigada


Obrigada por esta vida, que me permite amar e ser amada a toda a hora, que me permite fazer escolhas, que me permite ver, ouvir e sentir, andar, correr, dançar, que me permite suportar outras vidas e ampará-las.
Obrigada por esta vida cheia, pelas minhas lágrimas e tristezas, pelas minhas alegrias e sorrisos, pelas dúvidas e pelas certezas, por toda esta dualidade, que me torna o ser que sou e que eu amo.
Obrigada por todas as vidas que se cruzam com a minha, cada uma diferente da outra, e que me ensinam, umas como exemplos, outras, como vias que eu não quero seguir, outras com pequenas flores que nascem na minha alma, com o toque da sua luz.
Obrigada por tudo o que aprendo e desaprendo, por tanto caminho percorrido e tantos passos dados para trás, pois tudo isso, faz parte desta minha vida, em que tento evoluir mais e mais, num continuo desejo de ser sempre uma pessoa melhor.
Obrigada...

Cura para todo o meu ser, fisico e espiritual

É aqui que eu vou morar, seja lá onde isso for...

"Na terra dos sonhos, podes ser quem tu és, ninguém te leva a mal
Na terra dos sonhos toda a gente trata a gente toda por igual
Na terra dos sonhos não há pó nas entre linhas, ninguém se pode enganar
E abre bem os olhos, escuta bem o coração se é que queres ir para lá morar "


Jorge Palma

terça-feira, 24 de julho de 2012

Aprenda como se perdoar


"É possível que duas pessoas num relacionamento sejam más uma para com a outra?" Sim, isso é o que está acontecendo por todo o mundo. Ser bom é muito difícil. Você não é bom nem para si mesmo!

Como você pode ser bom para outra pessoa? Você nem mesmo ama
a si próprio! Como você pode amar outra pessoa? Ame a si mesmo, seja bom para si mesmo.Os seus assim chamados santos têm lhe ensinado a nunca amar a si mesmo, a nunca ser bom para si mesmo. Seja duro consigo mesmo! Eles têm lhe ensinado a ser delicado para com os outros e duro para consigo mesmo. Isso é um absurdo.

Eu lhe ensino que a primeira e mais importante coisa é ser amoroso para consigo mesmo. Não seja duro; seja delicado. Cuide de si mesmo.
Aprenda como se perdoar
, cada vez mais e novamente; sete vezes, setenta e sete vezes, setecentos e setenta e sete vezes. Aprenda como perdoar a si próprio. Não seja duro; não seja hostil consigo mesmo. Assim você irá florescer.Nesse florescimento você atrairá alguma outra flor. Isso é natural. Pedras atraem pedras; flores atraem flores. Assim há um relacionamento que possui graça, que possui beleza, que possui uma bênção nele.

Se você puder achar um relacionamento assim, seu relacionamento crescerá para uma oração; seu amor se tornará um êxtase e através do amor você
conhecerá o que é o divino."
Osho, em "Ecstasy: The Forgotten Language

Para quê preocupação?

“FACILIDADE - À medida que crescemos espiritualmente, vamos abandonando o hábito de nos preocupar, que tem apenas um resultado: fazer-nos sentir tensos e despedaçados. Quando paro de me aborrecer com as coisas que estão além do meu controlo e, ao contrário, passo a focalizar-me em gerar pensamentos optimistas, a minha vida começa a fluir na direcção certa. Abordar a vida com tal leveza e facilidade capacita-me a seguir melhor o meu caminho.”

Retirado do site da Brahma Kumaris - http://www.bkwsu.org/portugal/

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Esquecimento



Eles esqueciam-se das horas, e falavam, alheios às mesas ao seu redor. Ao inicio cheias, depois vazias uma após a outra. E eles continuavam, falando, rindo, contanto coisas um ao outro, revelando um pouco mais do seu coração… O tempo era lá fora, ali, só amor, só vontade, só eles!

domingo, 8 de julho de 2012

domingo, 1 de julho de 2012

Meditação do cigarro

"Um homem veio a mim. Ele sofria do vício de fumar há trinta anos; ele estava doente e os médicos disseram: "Você nunca ficará bom se não parar de fumar." Ele era um fumante crônico e não conseguia parar. Mas ele tentou, tentou arduamente e sofreu muito tentando. Conseguia por um ou dois dias, mas então a necessidade de fumar vinha tão forte que simplesmente o vencia. Novamente ele caía no mesmo esquema.

Por causa disso, ele perdeu toda a autoconfiança; sabia que não podia fazer nem essa pequena coisa: parar de fumar. Ele se desvalorizou diante de si mesmo; considerava-se a pessoa mais sem valor do mundo. Não tinha mais respeito por si mesmo. E assim, ele veio a mim.

Ele disse: "O que posso fazer? Como posso parar de fumar?" Eu lhe disse: "Você tem que entender. Agora, fumar não é apenas uma questão de decisão. É algo que já entrou no seu mundo de hábitos; já se enraizou. Trinta anos é um longo tempo. Esse hábito tem raízes no seu corpo, na sua química, espalhou-se em você. Não é mais apenas uma questão de decidir com a cabeça; sua cabeça não pode fazer nada. Ela é impotente; pode começar coisas, mas não pode pará-las facilmente. Uma vez que você começou e praticou por tanto tempo, você é um grande iogue - trinta anos de prática em fumar! Já se tornou automático; você tem que desautomatizar isso." Ele perguntou: "O que você quer dizer por desautomatizar?"

É nisto que consiste toda a meditação: na desautomatização.

Eu lhe disse: "Faça uma coisa: esqueça tudo sobre parar de fumar. Não há necessidade. Por trinta anos você fumou e viveu; é claro que foi um sofrimento, mas você se acostumou a ele também. E o que importa se você morrer algumas horas antes do que morreria sem fumar? O que você vai fazer aqui? O que você fez? Então, qual a importância em morrer na segunda, na terça ou no domingo, neste ou naquele ano - que importa?"

Ele disse: "Sim, isso é verdade; não importa".

Então eu disse: "Esqueça tudo sobre parar de fumar; não vamos parar absolutamente. Ou melhor, vamos compreender isso. Assim, da próxima vez, faça do fumar uma meditação".

Ele disse: "Do fumar uma meditação?" Eu disse: "Sim. Se as pessoas zen podem fazer do beber chá uma meditação, uma cerimônia, por que não com o cigarro? Fumar também pode ser uma bela meditação".

Ele ficou impressionado e disse: "O que você está dizendo? Meditação? Conte-me - nem posso esperar!"

Então dei a meditação para ele: "Faça uma coisa. Quando pegar o maço de cigarros do seu bolso, pegue-o bem lentamente. Curta, não há pressa. Fique consciente, alerta, atento; pegue lentamente com atenção total. Então, tire um cigarro do maço com toda a atenção, lentamente, não da velha maneira apressada, inconsciente, mecânica. Depois, comece a bater o cigarro no maço, atentamente. Escute o som, como fazem as pessoas zen quando o samovar começa a cantar e o chá começa a ferver... e o aroma... Então cheire o cigarro e sinta sua beleza..."

O homem disse: "O que você está dizendo? A beleza?"

"Sim, ele é belo. O tabaco é tão divino quanto qualquer outra coisa. Cheire-o; é o cheiro de Deus".

O homem ficou um pouco surpreso: "O que! Você está brincando?"

"Não, não estou brincando. Mesmo quando brinco, não brinco. Sou muito sério."

Então, ponha o cigarro na boca, com toda a atenção, e acenda-o. Curta cada ato, cada pequeno ato e divida-o em muitos pequenos atos para que você possa tornar-se o mais alerta possível.

Dê a primeira tragada: Deus em forma de fumaça. Os hindus dizem, "Annam Brahm" - "Comida é Deus". Por que não a fumaça? Tudo é Deus. Encha profundamente seus pulmões - isto é pranayam. Estou lhe dando uma nova ioga para um novo tempo! Depois, solte a fumaça, relaxe; dê outra tragada - e faça tudo bem devagar...

Se você puder fazer isso. ficará surpreso; logo verá toda a estupidez disso. Não porque os outros estão lhe dizendo que é estúpido, que é ruim. Você o verá; e não apenas intelectualmente, mas a partir de seu ser total; será uma visão da sua totalidade. E então, um dia, se o vício desaparecer, desapareceu; se continuar, continuou. Você não tem que se preocupar com isso."

Depois de três meses, o homem voltou e disse: "Ele desapareceu!"

"Agora, eu disse, tente isso com outras coisas também".

Este é o segredo, o segredo: desautomatizar. Andando, ande devagar, atentamente. Olhando, olhe cuidadosamente e você verá que as árvores estão mais verdes do que nunca e as rosas estão mais rosas do que nunca. Escute! Alguém está falando, sussurrando: ouça atentamente. Quando você falar, fale atentamente. Deixe que toda a sua atividade de despertar torne-se desautomatizada."

Osho, em "O Livro Orange"

Encontrar o nirvana, na nossa vida...

" E naquele momento percebi porque o Buda me tinha devolvido a vida:
Não é preciso o Nirvana, para chegar ao Nirvana!"

in Maldito Karma de David Safier

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Sobre o Caminho

 Nada

nem o branco fogo do trigo
nem as agulhas cravadas na pupila dos pássaros
te dirão a palavra

Não interrogues não perguntes
entre a razão e a turbulência da neve
não há diferença

Não colecciones dejectos o teu destino és tu

Despe-te
não há outro caminho

Eugénio de Andrade, in "Véspera da Água"

Um caminho


Há obstáculos em todas as vidas. Há sofrimento em toda a existência humana. Mas, se soubermos manter o desapego, a liberdade da nossa alma, e a paz no coração, poderemos aceitar as dificuldades sem dramas, sem nos deprimirmos, sem deixarmos de sentir alegria no nosso coração.
Assim sejamos capazes, de fazer a aprendizagem desse caminho.

quinta-feira, 28 de junho de 2012


Há um fio de luz que nos une a todos. Num fluir continuo através dos tempos, ninguém está fora de mim, eu não estou fora de ninguém. Somos todos um!

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Segurança


E ela caminha segura pela estrada. Já deixou para trás o peso supérfluo, já se livrou da pele de antigamente, e exposta ao sol e ao vento olha agora para a estrada deserta, com alegria no peito. Sem certezas, nem promessas, apenas com esperança, com fé de que está no caminho certo, e de que os passos que dá a irão levar ao paraíso.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Simplesmente maravilhoso

... a aprender todos os dias.

Dia de paz


Ontem foi um dia de partilha e dádiva. Sem julgamentos, e com amor no coração, sem querer absolutamente nada em troca, apenas em busca da paz e da serenidade mútua. Meditação, yoga, reiki, e terapia multidimensional, foram oferecidos por cada uma de nós, num dia em que o mundo ficou esquecido.
No fim do dia tinha conseguido limpar angústias e tristezas, e a serenidade e felicidade inundaram-me o coração, mesmo sabendo que a minha vida continuava igual, e que os problemas ainda lá estavam para resolver. É esse o milagre da paz interior, tudo à volta não precisa de ser perfeito para nos sentirmos felizes. O meu objectivo? Manter este estado para sempre… Mas tenho a vida toda para lá chegar. J
"Aceite os outros como eles são, acomodando-os no seu coração; siga o exemplo do Oceano que abriga, incondicionalmente, todos os seres nas suas águas."

sábado, 16 de junho de 2012

Amor omnipresente


Em todo o lado, podemos encontrar a beleza, a pureza e o amor. Deixemos então o nosso coração aberto e confiante, atento e sereno, para que a todo o momento ele se inunde, desta energial primordial e universal que nos une a todos.

"Bem farias em te examinares e refletires sobre ti mesmo."
(Shakyamuni).

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Ligação


Eu sei que tens que ir, nem posso eu pedir-te outra coisa, mesmo querendo.
Vai! Mas lembra-te sempre que no meu coração continua a haver um lugar intocado, onde o teu nome se ouve, onde a tua presença é única. E se um dia quiseres voltar, pega-me ao colo e arrabata-me ao tempo e ao espaço, entra de rompante e diz-me que afinal, é assim que a vida te faz mais sentido.

terça-feira, 5 de junho de 2012

É assim que vai ser

 
 
"Desisti de salvar o mundo
quero salvar somente o dia
salvar a alegria do nosso encontro
então me preocupo em manter
a doçura do rosto
a leveza do traço
o balançar do corpo
meu corpo em teu abraço
então me despreocupo
me ocupo ao teu agrado
é isso que vale
o resto ao acaso"

Cáh Morandi

"Confissão
O meu amor por você é inédito. Novo e maduro – como pode? Penso, sinto e quero você. Hoje, amanhã e na medida sem fim do tempo. Quando estou em silêncio e lembro que você existe eu sinto paz. Suspiro aliviada.
Quero vestir o seu abraço e sair com ele por aí, como um colete à prova de balas. Abraço longo, apertado, quente. Quero mais, me abrace mais. Mais um pouquinho. Vai sempre faltar abraço pra minha sede dele.

Sei que dentro de você moram sorrisos. Alguns você deixa escapar, os outros esconde no escuro, pra eu procurar. E eu gosto do jogo.
Gosto também das suas mãos nas minhas, das suas mãos tomando conta de mim. Não quero viver sem suas mãos por perto. Não sei aprender isso. É que esse meu amor inédito parece que nasceu junto comigo."
Cris Guerra 






"Que a força do medo que tenho

Não me impeça de ver o que anseio

Que a morte de tudo em que acredito

Não me tape os ouvidos e a boca

Porque metade de mim é o que eu grito

Mas a outra metade é silêncio.

Que a música que ouço ao longe

Seja linda ainda que tristeza

Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada

Mesmo que distante

Porque metade de mim é partida

Mas a outra metade é saudade.

Que as palavras que eu falo

Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor

Apenas respeitadas

Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos

Porque metade de mim é o que ouço

Mas a outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora

Se transforme na calma e na paz que eu mereço

Que essa tensão que me corrói por dentro

Seja um dia recompensada

Porque metade de mim é o que eu penso mas a outra metade é um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste, e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.

Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso

Que eu me lembro ter dado na infância

Por que metade de mim é a lembrança do que fui

A outra metade eu não sei.

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria

Pra me fazer aquietar o espírito

E que o teu silêncio me fale cada vez mais

Porque metade de mim é abrigo

Mas a outra metade é cansaço.

Que a arte nos aponte uma resposta

Mesmo que ela não saiba

E que ninguém a tente complicar

Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer

Porque metade de mim é platéia

E a outra metade é canção.

E que a minha loucura seja perdoada

Porque metade de mim é amor

E a outra metade também"

Metade - Oswaldo Montenegro


"Sempre reservamos para um amor, um trecho da canção nunca ouvida."

Lya Luft


Estranho-me… Mas se me estranhasse apenas a mim… Mas não! Estranho o mundo, estranho aqueles que amo. Estranho sentimentos que sempre senti, rotinas que sempre tive, estranho a vida e a morte.  
Depois tenho que ficar sossegada à espera que passe. Passa sempre! Até um dia, talvez, em que me estranhe para sempre e nunca mais saiba quem eu sou, e quem tu és.

terça-feira, 29 de maio de 2012

E no dia em que o amor já nada tiver para me surpreender, é altura de abrir as asas, e fazer um novo ninho.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Esta é a minha rebelião

A verdadeira rebelião


"Rebelde é aquele que não reage contra a sociedade, é aquele que compreende todo o jogo e simplesmente cai fora dele. O jogo passa a não fazer sentido para ele.

Ele não é contra o jogo. E essa é toda a beleza da rebelião:
trata-se de liberdade.

O revolucionário não é livre. Ele está o tempo todo lutando contra algo - como pode haver liberdade na reação?
Liberdade significa compreensão. A pessoa compreende o jogo e, ao ver que ele é um modo de impedir a alma de crescer, um modo de não permitir alguém de ser quem é, ele simplesmente o abandona sem que ele deixe marcas na sua alma. A pessoa perdoa e esquece, seguindo em frente sem nada que a prenda à sociedade em nome do amor ou em nome do ódio.
A sociedade simplesmente desaparece para o rebelde. Ele pode viver no mundo ou pode sair dele, mas não pertence mais a ele; é um forasteiro."
Osho, em "Liberdade - A Coragem de Ser Você Mesmo"

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Erosão



Constantemente desafio os meus pré-conceitos, medos, dúvidas, ideias fixas, decisões. Surpreendo-me a cada passo que dou, porque achava que nunca seria possível, mas lá vou avançando. Sempre respeitando aquilo que sinto, aquilo que nasce no meu coração e que não pode lá ficar, sempre respeitando os meus instintos e intuição.
E dentro das estruturas rígidas da minha mente, de repente a pedra começa a ceder, e a deixar entrar a água que vai inundar todo um mundo de ideias velhas, e desactualizadas.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

"O amor precisa de duas coisas: 
tem que estar enraizado na liberdade 
e tem que conhecer a arte da confiança."

OSHO

segunda-feira, 14 de maio de 2012


"Venha quando quiser,
ligue, chame, escreva...
Tem espaço na casa e no coração,
só não se perca de mim".
(Caio F. Abreu)